11

Escrevendo uma Vida!

Posted by Rander Ariel. on 12.6.12

Todo mundo já teve ou terá uma história de amor.

E como toda história de amor, o que mais importa é a intensidade dos fatos e do sentimento.
Embora muitas pessoas deixem de acreditar que exista o amor verdadeiro outras preferem acreditar que o amor verdadeiro é viver o melhor da relação pelo tempo que durar.

Desde crianças nossos pais e nosso ciclo social nos fazem acreditar em história perfeitas e esquecem de nos preparar para a vida real. A vida real embora seja uma luta constante, é uma página em branco construída e escrita a cada minuto. E nesta escrita, talvez o correto, seria que cada um fosse o ator principal de sua história. Uma vez que a história é construída não se pode apagar ou mudar os fatos passados, pois a página seguinte ainda está em branco e precisa ser escrita. 

E toda página carrega consigo cada emoção, cada sentimento, cada experiência e sobretudo a visão que temos do mundo. Mundo muitas vezes retratado de acordo com  nosso humor de momento. Humor que é instável e esta instabilidade que o torna tão interessante. Interessante é o fato de que as vezes rasuramos nossas páginas afim de corrigir erros, erros que marcam, alguns marcam para sempre outros são tão pequenos que nem valem a pena rabiscar. Rabiscos aos montes podem ser fragmentos de uma história interessante e rica de conteúdo. Conteúdo é o que falta para muitas histórias. Muitos se atentam apenas para a capa. Capa que muitas vezes é atraente. Atração que termina na primeira folha da história. termina pelo simples fato de que toda expectativa criada pela capa muitas vezes não condiz com a história. Expectativas é o que motiva a vida, motivação que é essencial para manter o bom humor, mas cuidado, expectativa demais é perigoso e talvez provoque seu mau humor. Mau humor que é facilmente banido de nossas vidas quando apreciamos os detalhes da existência. Detalhes que fazem toda diferença. Diferença percebida apenas por aqueles que não se preocupam com a cor da caneta, mas com aquilo que ela escreve. Escrever uma vida não é tarefa fácil, se fosse fácil não teria a menor graça. A graça está em escrever o que se sente levando em conta apenas o presente. Presente que é dado a cada dia embora muitas vezes nem percebemos. Percepção, isto sim falta em muitas escritas, e é bem provável que este seja o motivo de tantas escritas borradas por ai. Borradas com lágrimas de uma escrita carregada. Carregada de angústia e tristeza. Angústia escritas em tons melancólicos que foram criadas pelo simples fato de não termos a percepção necessária para entender que nós somos responsáveis por nossas escritas e que páginas anteriores ficaram para trás e o que importa são as páginas em branco. Algumas páginas insistem em deixar sua história em branco, pois, ficamos só relendo as páginas anteriores e esquecemos que o tempo para escrever embora pareça longo é limitado. Limite que muitas vezes é ignorado e quando se acorda já é tarde. Mas nunca é tarde para recomeçar a escrever. mas não adianta pular páginas e tentar escrever na frente, pois muitas vezes a história perde o sentido. Sentido é uma coisa que não cabe ao amor, o sentido do amor é que ele não faz sentido algum. Mas para alguns ele faz todo o sentido. Para muitos, assim como eu, o amor é o título da minha escrita.

Rander Ariel.

Links para esta postagem |

Copyright © 2009 Reunião das ideias maltrapilhas All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates